terça-feira, 12 de novembro de 2013

Instante

Este tempo
Não o de ontem
Nem o de amanhã
Mas o de hoje
De agora
Deste exato momento
Tem gosto de morte
Tem o ruído do silêncio
Tem o canto do cisne
Só que mudo
Ninguém fala
Tampouco ouve
Nem um sussurro
Nem um único murmúrio
É sepulcral
Como o túmulo
Até o coração para
Em suspenso
No vácuo
É a plenitude
O eterno absoluto
Que acontece se se move?
Que vem depois
Quando o instante
Põe-se em movimento?
Postar um comentário