sexta-feira, 7 de novembro de 2014

Tribunal do preconceito

Julgar e acusar
As pessoas
É como cuspir
Contra o vento
Tenha certeza
Que volta
Como balas
Bem no meio
Da cara

Estereótipo
E prejuízo
Que diz mais
Não menos
De quem fala
Do que do outro
Feito réu
Sem defesa
No tribunal
Do preconceito

Onde está a justiça
Em julgar o diferente
À luz da tua própria
Ignorância
E verdade?

Hipócrita
Cínico
Cheio de raiva
Eu já cuspi muito
A torto e direito
Mas cansei de lavar
De cuspe a minha cara
Hoje prefiro trocar
Saliva
Num beijo
Postar um comentário