terça-feira, 4 de novembro de 2014

O anúncio da cigarra

Era plena primavera
Eis que de repente
Ainda tímida
A primeira cigarra
Da iluminada temporada
Inicia sua cantoria
Festejando o verão
Que ainda longe
Mal se anuncia

Enternecido de paixão
Parei com o trabalho
E fui ouvi-la
Deitada numa rede
Tocar seu violão

Sequer durou uma música
Mas foi o suficiente
Me fez ciente
Que mais belos dias
De alegria, virão

Seja bem vinda
Cigarra!
Faz tua folgança
Tua algazarra
Eu, que sou formiga
E só trabalho
Me rio e me divirto
Com a tua farra
Postar um comentário