quarta-feira, 31 de julho de 2013

Noite, a amante

Eu gosto mesmo é de me perder
De sair por aí sem ter aonde voltar
De procurar sem mais nem porquê
E em teu corpo nu me encontrar

Eu gosto é de beber o sexo da noite
De vertê-la toda na boca até enjoar

De uivar doido à lua feito um coiote
E com teu gozo lúbrico me embriagar

Em meus braços ver a lua deitar ensonada
Já cansada de uma longa noite de farra
Após vagar nua pela rua de madrugada

A noite é a melhor amante de todas
Não nos ferimos com mágoas bobas
E divertimo-nos juntos nas horas boas
Postar um comentário