quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

O vento

O vento leve
Leva a palavra
Num sopro

Carrega a prece
Até o ouvido
Da santa

Espalha o silêncio
Dissonante
Suspenso no ar

Executa, ao longe
No canto do pássaro
A sinfonia de Bach

Acaricia da árvore
Os ramos

Dissolve, paciente
O barulho

Faz do grito
Murmúrio

Da promessa
Sussurro

Sem pressa
Ao sabor
Do acaso

Vento-oração
Vento-canção

Faz ao mundo
O que faz a mão
Sobre o corpo

Embala
Afaga
Acarinha

Às vezes
Acossa
castiga

E o essencial:
Muda as coisas de lugar
Leva, transforma

Na calmaria
Ou na borrasca
Sejamos vento
Postar um comentário