quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Dor

A dor pode servir de aviso
Ante a ameaça iminente
Põe-nos de sobreaviso
Cuidado, perigo à frente!

Mas a dor é mais que isso
Mais do que reação física
Instintiva, desencadeada
Para proteger o organismo

Emoções, sonhos, vontades
Têm o mesmo poder físico
Dum açoite, látego ou chicote
O estrago, contudo, é no espírito

Nem sempre a dor é mal sinal
Ora, sentir dor é prerrogativa dos vivos
Os mortos nada mais têm a arrepender
Nem a corrigir, nem a correr atrás

Certas lembranças pungem
Se doem, não se assuste
Nem se desespere também
Só dói o que ainda vive
E só o que vive ainda tem
Uma segunda chance
Postar um comentário