quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Um conto machista

A mulher passa pela rua
Um homem cruza
Ela de cabeça baixa
Desvia o olhar para o chão
Suspende a respiração
E continua
Ele não tira a vista
A estupra com os olhos
Torce o pescoço
Torce a cara
A carranca medonha
De um monstro
Grunhe como animal
Palavras obscenas
Não há revide
Ela é presa fácil
Não pode defender-se
Ele sabe disso
Ela também
Ela quer correr
Quer gritar
Mandá-lo à merda
Castrá-lo com uma faca cega
Como se castra um porco
Ele quer possui-la
Quer exercer seu domínio
Sobre o corpo feminino
Se não com o pau ou com a mão
Que seja com as palavras
Que violenta simbólica
Psicológica e moralmente
Reproduzindo papeis
Afirmando posições
De poder e dominação
Findado o abuso
Cada um segue o seu caminho
Ela, com medo
Temendo o próximo desconhecido
Que irá reclamar seu direito
Sobre o corpo feminino
Ele, satisfeito
Sentindo-se másculo
Forte e corajoso
Cheio de si
É o pior dos covardes
Postar um comentário