quarta-feira, 24 de abril de 2013

Solidão

Sempre só
Somente eu
Melodia em dó
Sorte que deus me deu

Sem xodó
Eterno sandeu
Sonhos viram pó
Percalços do caminho meu

Caminho solitário
Errática direção
Sentido contrário
Quando é tudo solidão

Meu corolário
Pungido coração
Resulta necessário
Amar sem retribuição

Destino lôbrego
Ando sozinho
A vida é monólogo
Essa sina eu levo comigo

Lógica sem razão
Triste desdita
Então amo a solidão
Desde o berço minha amiga
Postar um comentário