quinta-feira, 5 de setembro de 2013

A cidade

A cidade é obra humana
É trabalho consubstanciado
Que imprime em concreto e aço
Numa doida sanha
Amores, sonhos e esperanças
De homens e mulheres passados
Cujos restos estão entre nós
Na forma de ângulos, de linhas
E cada traço, cada polígono
Não é simples matemática
A cidade é um volumoso caderno
Um diário, prenhe de histórias
Escritas a várias mãos, apócrifas
É um monumento
À nossa capacidade de transformação
É um livro aberto
A quem quiser dar contribuição
Postar um comentário