quinta-feira, 7 de junho de 2012

Aos povos que virão

Aos povos que virão,
Peço penitência,
Por nossa tão infame ignorância.
Meu povo fora estúpido e vilão.
Peço complacência,
Ante a mesquinha ganância,
De um povo ignaro e chão.
Não sabíamos, não tínhamos ciência,
De que estava por vir a mais sombria escuridão.
Faltou-nos mínima sapiência,
Presciência e razão.
Agora, paciência, paciência,
Vocês nos dirão.
De nós, sobrou-lhes vaga lembrança,
E a esperança,
De que dias melhores virão.
Postar um comentário