quarta-feira, 18 de maio de 2016

Navega

Não posso prever o futuro
Nem dele ter qualquer vislumbre
Ou garantia
Apenas espero, torço e rezo

Hoje, sou todo felicidade
Amanhã, quem sabe
Tudo pode estar perdido

Amanhã, me alcança a tristeza
Depois, quem garante
O mundo de novo rodopia

A única certeza
É que tudo muda
Nada permanece

Como navegantes numa nau
Não se vê além do horizonte
A tempestade pode estar logo à frente
Atravessá-la é questão de fé
E coragem
Porque sempre haverá outros mares
Para cruzar
Postar um comentário