sexta-feira, 5 de abril de 2013

E agora, o depois?

Talvez um outro mundo complemente inusitado saia dos escombros dessa nossa velha e carcomida sociedade. Inusitado porque impensado, imprevisto, insólito, inimaginável.

Talvez nossa imaginação seja pouca, e os mundos já imaginados como alternativa não passem de pálidas sombras comparados à astúcia da história. Talvez nos seja mesmo impossível saber e definir o que virá.

Um sem-número de ideias juntas viram uma ideia nova, sui generis, que não pode ser apreendida a priori. Algo parece estar sendo secretado dessas 7 bilhões de cabeças redondas que povoam esse planeta, algo novo, inusitado.

Talvez socialismo, comunismo e anarquismo sejam ideais umbilicalmente ligados ao mundo do capital, e que não podem subsistir sem ele. Quem quer mais indústria? Quem quer mais Estado? Quem quer mais bugigangas tecnológicas? Em suma: quem quer mais grilhões aos quais se aferrar?

Produzimos tanto lixo, nesses últimos dois séculos, que seria possível viver deles mais alguns não produzindo senão alimento. Viver da terra: um ideal e tanto para os próximos dois séculos.
Postar um comentário