sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Livros usados e antigos

Cara, livros antigos e usados são o máximo. Num deles, acabo de achar um volante fazendo propaganda de uma auto escola. O telefone ainda nem tinha o dígito "3" anteposto aos demais 7 dígitos. Provavelmente está lá desde o dia em que o livro foi comprado. Outro dia, encontrei dentro de um livro adquirido em sebo uma nota fiscal de mercado cujos valores dos produtos ainda estavam estabelecidos em cruzeiro. É como encontrar um pequeno tesouro. Mas ainda mais rico que esse achados impessoais é encontrar cartas, anotações, ideias lançadas ao acaso. Certa feita, garimpando num sebo, topei com um livro do A.A., aquele dos 12 passos, e tive uma grande surpresa: havia nele anotações do começo ao fim, em cada sobra de papel branco, desde o interior da capa até o interior da contra-capa. Não se travava exatamente de anotações, mas de uma narrativa. O livro provavelmente seria um regalo a alguém, e o presenteador abre sua narrativa com uma dedicatória. Mas ele, por razões que nunca irei saber, não consuma o objetivo e o livro segue sem ser presenteado. A cada dia ou semana que se passava, sem que o livro fosse dado de presente, seu possuidor escrevia nas partes em branco. Divagações, confissões, lamentações. Dia após dia, ele dialogava, através de um monólogo, com a pessoa que seria presenteada. Até hoje eu não sei porque não comprei esse livro. Será que algum dia ele chegou ao seu destinatário?
Postar um comentário