sexta-feira, 20 de julho de 2012

O mensalão e os intelectuais "orgânicos" do PT

É deprimente o ponto a que chegaram os intelectuais "orgânicos" do PT. Vejam a coluna do Emir Sader sobre o mensalão. Eu lhe faço a seguinte crítica:

A discussão em torno do mensalão é uma conversa de surdo-mudos. O PT insiste na irrealidade da acusação, mera fantasia criada pela oposição para desestabilizar seu governo. O PSDB se faz de "João-sem-braços", como se não fosse notória a participação de certos membros seus em casos de corrupção. Por um lado, é óbvio o papel da mídia burguesa como promotora das acusações. Os intelectuais "orgânicos" do PT, por sua vez, desdobram-se em contorcionismos argumentativos na esperança de desacreditar in totum a existência do mensalão. Ora, é claro que o mensalão não é somente mais uma alegação infundada da mitomaníaca direita. Constituiu um esquema voltado não apenas para assegurar a governabilidade do PT num período em que o partido não tinha maioria no Congresso, como também para arrecadar fundos para as eleições. Como se sabe, a grana preta que os partidos alegam gastar ao TSE em campanha não passa de uma parte, que esconde a outra, advinda de caixas 2. Contudo, a verdade é que essas questões não chegam ao cerne do problema. O problema é que a política do compadrio é uma prática entranhada até a medula na política brasileira. O atividade de Marcos Valério como irrigador de cofres partidários nunca foi exclusiva do PT. O uso do Banco Rural para tanto também não, que desde Collor já abastecia caixas 2 de grandes partidos. Portanto, a questão é: o PT não é nem mais nem menos fisiologista, eleitoreiro, capitalista, corrupto, que o PSDB e consortes. São todos farinha do mesmo saco. O PT está (há tempos, diga-se de passagem) plenamente consolidado como um típico partido político tradicional e, portanto, atua segundo as mesmas práticas e com vista aos mesmos fins.

Por um partido novo, verdadeiramente dos trabalhadores! Por intelectuais verdadeiramente comunistas! Por uma esquerda de verdade!
Postar um comentário