segunda-feira, 7 de maio de 2012

Cachoeira de esgoto


A operação Monte Carlo vem desvelando uma intrincada e extensa rede de corrupção, e é difícil atribuir apenas ao bicheiro Carlos Cachoeira a figura de pivô central do esquema. Os principais políticos do estado de Goias (o governador, deputados estaduais e federais e senadores) estão atolados até o pescoço com o esquema de corrupção. A revelação de que a administração de Agnelo Queiroz, juntamente com a Delta Construções, participa também desse esquema, faz com que a rede se revele espraiada até o Rio de Janeiro. Fernando Cavendish, dono da Delta, como se sabe pelo menos desde meados do ano passado, quando sua mulher morreu num acidente de helicóptero, corre lado-a-lado com o governador do Rio, Sérgio Cabral. A Delta é a construtora que, de longe, mais recebeu verba pública no Estado do Rio. Mas não apenas. É também a construtora que mais ganhou licitações de obras do PAC. Em dez anos, a empresa aumentou seu faturamento de módicos 67 milhões de reais para 3 bilhões. Somente do governo federal, ela recebeu 4 bilhões. 90% do que a Delta recebeu do PAC provém do DNIT, órgão do Ministério dos Transportes e acusado de corrupção no ano passado, episódio que derrubou o ministro Alfredo Nascimento. O fato de que a Delta (aliás, uma das maiores, senão a maior doadora à campanha eleitoral do PT e PMDB), que sustenta profundas relações com governadores, ministros etc., tenha contato com o grupo de Cachoeira é revelador da extensão dessa rede de corrupção. Ainda vai descer muito político por essa cachoeira de esgoto.
Postar um comentário