quarta-feira, 12 de agosto de 2009

Aniversário

Aniversário: data na qual se comemora o dia em que se nasceu. Data para receber telefonemas, alguns sinceros outros não, alguns de quem está perto, outros de quem só se fala religiosamente nesse dia. Dia de fazer votos de felicidade, de reiterá-los ou de simplesmente não renová-los. Dia de repensar os rumos que a vida veio tomando nesse último ano. Data na qual, por um momento de descuido e prazer fugaz, meus pais me trouxeram a esse mundo triste. Data que, para a criança, inocente e egoísta, significa ganhar um novo presente. Data boba, na qual nos achamos especiais, nos achamos merecedores de paparicos. Dia só seu e de mais milhões de outros aniversariantes. Dia de fazer promessas, muitas promessas que sabemos jamais conseguir ou mesmo tentar cumpri-las. Data para dizer a quem se ama: “eu te amo”. Dia entre tantos outros, com a diferença de estar um ano mais velho do que nos dias do ano anterior. Dia feliz para uns, infeliz para outros. Data na qual tem-se certeza que se está a fazer tudo errado. Data que dá vontade de ser regredida, refeita, referida a outro. Dia de dizer “obrigado”, embora se queira trancar-se no quarto e dizer “adeus”. Dia único do ano que não lhe pertence. Dia que me lembra tudo o que fiz de errado, mas nada daquilo que fiz de certo. Data na qual se percebe que a vida é um cronômetro em contagem regressiva. Data para se inventariar aquilo que ainda quer se fazer no tempo que resta. Data na qual, todos os anos, pago penitência a minha consciência. Data em cujo dia estou mais longe do começo e mais próximo do fim. Data que me lembra a solidão. Dia triste que espero que passe logo.
Postar um comentário