sexta-feira, 29 de agosto de 2008

A tragicômica política brasileira

Em meio a prantos e risos, avaliemos a extensão perniciosa – e hilária? – da tragicômica cultural eleitoral brasileira: falta de decoro; mau uso da verba pública e rabo preso com dinheirama privada; poluição visual, sonora e moral – porque não? ; promessas vazias e irreais; e, por fim, como já nos alertava Max Weber, sociólogo alemão, utilização do poder público pelo político que vive “da política”, isto é, que faz dela sua carreira profissional e dela tira seu sustento – ou deveria dizer “tira bem mais do que isso”? Não dispondo, assim, do menor interesse pela coisa pública, pelo menos, não tanto quanto se faz premente alavancar seus próprios interesses. Então, de maneira que não dispomos de qualquer poder de alterar a atávica cultura política vilipendiada e arraigada no imaginário tupiniquim, sentem-se e apreciem o show de bizarrices: vai Lacraia, vai lacraia!
Postar um comentário